Reativação do Ovário

Hoje, a condição de Insuficiência Ovariana Primária afeta cerca de 1 em cada 100 mulheres, que se tornam inférteis ao redor dos 30 anos, seja porque utilizam seus óvulos muito rapidamente, seja porque nascem com um número menor deles.

Médicos dos USA e do Japão desenvolveram uma técnica que consiste, primeiramente na remoção de fragmentos do ovário e na sua ativação em laboratório com uma fórmula química específica para o desenvolvimento dos óvulos e, posteriormente, o reimplante deste fragmentos nas tubas uterinas. Após, o processo inicial, as mulheres são submetidas a um terapia hormonal e seus óvulos são colhidos para a realização de uma Fertlização in Vitro.

Terminado o 1º Ciclo de pesquisas, os folículos começaram a se desenvolver normalmente em 8 das 27 participantes do estudo, 1 delas está gra´vida e outra já teve o bebê.

A nova técnica ainda não está liberada para o uso em Clínica de Reprodução, mas os pesquisadores acham que ela poderá ser utilizada ainda em mulheres que se submeteram a tratamentos de quimioterapia ou de radioterapia e naquelas de 40-45 anos com ciclos menstruais irregulares.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s